Barra de vídeo

Loading...

26 de jul de 2013

HERÓI IMPROVÁVEL

           


            Se você um dia já começou a duvidar que Deus seja paciente com você, então analise a vida de Gideão.

            Durante a juventude de Gideão, a nação pagã de Midiã aterrorizava os israelitas, roubando sua comida e tomando tudo o mais que quisesse. Um dia, ele estava malhando o trigo no fundo de um tanque de prensar uvas para que os midianitas não vissem. Enquanto trabalhava, o anjo do Senhor foi até ele e o saudou com animação: “O Senhor está com você, poderoso guerreiro” (JZ 6:11).

            Gideão deve ter dado risada. “Eu? Guerreiro? Não viu onde estou? Não vê o que estou fazendo? Você não imagina porque aqui embaixo neste buraco, quando a maneira normal de malhar trigo é lá em cima, onde o vento sopra livremente para separar a palha?” As palavras do anjo pareciam gozação para ele. Gideão lembrou o anjo de que era o mais novo de sua família e pertencia ao clã menos importante de meia tribo de Manassés (6:15).

            Contudo, Deus quis comunicar exatamente o que o anjo disse. Ele tinha uma missão para Gideão: “Com a Força que você tem, vá libertar Israel das mãos de Midiã”. E como aquele rapaz realizaria um feito tão improvável? “Eu estarei com você”, respondeu o Senhor, “e  você derrotará todos os midianitas como se fossem um só homem” (6:14,16).

            Deus viu o que Gideão não conseguia enxergar e se propôs a conduzir o rapaz pacientemente, para que ele se transformasse no que jamais havia sonhado que pudesse ser.

            Gideão não se tornou um “poderoso guerreiro” da noite para o dia. Em primeiro lugar, Deus lhe deu uma pequena, mas importante tarefa: destruir o altar da cidade, erguido ao Deus Baal. Ele fez como o Senhor ordenara, mas à noite, para que não fosse visto (6:25-27).

            Depois disso, Gideão estava pronto para a segunda etapa de seu desenvolvimento. Deus o encheu com o seu Espírito e o fez convocar um exército para atacar Midiã (6:33-35). Contudo, Gideão ainda tinha dúvidas. Por duas vezes, ele pediu que o Senhor lhe desse um sinal incomum para provar que, de fato, cumpriria a promessa feita anteriormente. E, por duas vezes, Deus mostrou a Gideão que sua palavra era verdadeira (6:36-40).

            Finalmente, chegou a hora de Gideão e seu exército – 32 mil soldados ao todo – atacarem as forças de Midiã, uma coalizão de 135 mil valentes. Gideão havia testado Deus, mas agora Deus é que viraria a mesa e testaria Gideão. O Senhor instruiu Gideão a enviar a maioria dos soldados para a casa até que os restantes somassem apenas trezentos. Por quê?  “A fim que Israel não se orgulhe contra mim, dizendo que a sua própria força o libertou”, disse o Senhor (7:2).

            Gideão aceitou, e, naquela noite, Deus o transformou no “poderoso guerreiro” que o anjo havia profetizado. Por meio de um dos planos de batalha mais estranhos já concebidos, o Senhor afugentou os midianitas, dando início a cerca de quarenta anos de paz, período que durou pelo restante da longa vida de Gideão (8:28).

            Séculos mais tarde, o apóstolo Paulo escreveu palavras com as quais Gideão certamente concordaria: “Mas por isso mesmo alcancei misericórdia, para que em mim, o pior dos pecadores,”Cristo Jesus demonstrasse toda a grandeza da sua paciência, usando-me como um exemplo para aqueles que nele haveriam de crer para a vida eterna” (1Tm 1:16)

Moral da História: Nunca duvide da paciência e da sabedoria de Deus.