Barra de vídeo

Loading...

23 de set de 2011

COMPROMETIDOS COM O REINO DE DEUS


“Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2:20).
Quero aproveitar o assunto estudado durante a semana e que culminou na lição da Escola Bíblica, para continuar pensando com os amados irmãos e queridos leitores, em duas palavras que fazem parte do título e que são a razão de ser de nossa preocupação: “essência” e “aparência”. As estatísticas revelam que a população evangélica no Brasil está na ordem de vinte e um por cento do total de cerca de cento e noventa e dois milhões de habitantes. Isto significa dizer que em números, os evangélicos somam a mais de quarenta milhões em nosso país.
Agora, uma pergunta: Deste número, quantos são cristãos de verdade? Isto é, quantos realmente valorizam a essência e não são meras figuras estatísticas neste universo de números que são apresentados? Quantos honram de verdade o nome de Cristo e são autênticos discípulos prontos a todo custo a fazer a diferença como sal da terra e luz neste mundo tenebroso? Quantos estão dispostos a pagar o preço de uma vida de renúncia e submissão Àquele que já pagou o grande preço da salvação da nossa alma?
Infelizmente, podemos verificar nos dias em que vivemos, alguns tipos de pessoas que se dizem cristãos evangélicos mas têm uma vida incoerente com o discurso que proclamam. Muitos envolvidos com a igreja que congregam, mas pouco ou quase nada comprometidos com o Deus da igreja. Desejando as bênçãos de Deus, mas sem querer assumir compromisso nenhum com o Deus das bênçãos. Fazendo muitas vezes da igreja um esconderijo para sua hipocrisia que revela na família ou no ambiente familiar o seu verdadeiro caráter.
Amados irmãos em Cristo, o mundo precisa ver em nós, discípulos verdadeiramente comprometidos com o Reino de Deus. Cristãos que valorizam a essência, isto é, a salvação que foi adquirida não por nossos méritos, mas pela obra redentora, fruto do amor de Deus revelado em Cristo Jesus.
Cristãos comprometidos traduzem o compromisso com uma vida de santidade, preocupados com o crescimento espiritual na busca de uma intimidade crescente com o Senhor, através do conhecimento da Palavra e de uma vida de oração. Utilizam as bênçãos materiais dadas pelo Senhor para investir no Reino de Deus através da igreja na Obra Missionária. São promotores da paz na família, na igreja e na sociedade. Glorificam o nome Senhor com atitudes que abençoam e alegram o ambiente em que vivem. São fiéis em seus compromissos, honrando o nome de Deus em seus negócios ou relacionamentos.
Concluo, temendo dizer que nas estatísticas apresentadas, se fizermos um senso mais detalhado teremos muitos “evangélicos” e poucos “crentes” porque nestes quarenta milhões, certamente, a maioria valoriza mais a “aparência” do que a “essência” e o testemunho verdadeiro fica a desejar.
Que Deus tenha misericórdia de nós! Amém!

15 de set de 2011

ALVOROÇANDO O MUNDO


“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm. 12:1-2)
Na carta que Paulo escreveu aos romanos, a exortação acima convida os crentes a tomarem uma atitude radical em relação ao estilo de vida diferenciado que precisam viver. Uma vida agradável a Deus, obrigatoriamente vai andar na contra mão do padrão e dos comportamentos adotados por um mundo corrompido e perverso. Fomos chamados para sermos diferentes, cada dia mais parecidos com o nosso Salvador Jesus Cristo, buscando sempre Nele, o modelo para o nosso viver do dia-a-dia, interagindo numa sociedade que cada vez mais se afasta de Deus.
Neste capítulo da carta citada, iluminado pelo Espírito Santo, Paulo não somente faz a exortação mas nos ensina a viver na prática o que ele entende como a vontade de Deus para nós. E a partir do versículo nove aprendemos como viver uma vida que agrada a Deus. “O amor dever ser sincero. Odeiem o que é mau; apeguem-se ao que é bom. Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal. Prefiram dar honra aos outros mais do que a si próprios. Nunca lhes falte o zelo, sejam fervorosos no espírito, sirvam ao Senhor. Alegrem-se na esperança, sejam pacientes na tribulação, perseverem na oração. Compartilhem o que vocês têm com os santos em suas necessidades. Pratiquem a hospitalidade. Abençoem aqueles que os perseguem; abençoem e não os amaldiçoem. Alegrem-se com os que se alegram; chorem com os que choram. Tenham uma mesma atitude uns para com os outros. Não sejam orgulhosos, mas estejam dispostos a associar-se a pessoas de posição inferior. Não sejam sábios a seus próprios olhos. Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos. Façam todo possível para viver em paz com todos. Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: “Minha é a vingança; eu retribuirei” diz o Senhor. Ao contrário: “Se o teu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber. Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele”. Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem”
Praticando estes princípios, sem dúvida nenhuma, estaremos alvoroçando o mundo, impactando a sociedade, abençoando vidas e principalmente glorificando o nome de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Que Ele nos abençoe! Amém!

9 de set de 2011

TEMPO DE QUEBRANTAMENTO


“Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás” (Sl. 51.17).
Quebrantamento quer dizer contrição. Essa palavra sugere algo que foi esmagado em minúsculos pedaços, tal como uma rocha que esse tornou pó. Quebrantamento consiste em rompimento da nossa vontade e total rendição a vontade de Deus; em abrir mão da nossa autoconfiança, deixando amolecer o solo do nosso coração endurecido, para que a palavra de Deus penetre e lance raízes. O quebrantamento é obra de Deus, mas exige a nossa participação. Decisões precisam ser tomadas, atitudes corajosas e determinadas fazem parte deste processo que agrada a Deus.
O tempo que estamos vivendo é tempo de quebrantamento, de reconhecermos que Deus quer fazer algo extraordinário em nossa igreja, em nossas famílias. Na história do povo de Israel em determinado momento que antecedeu o desafio de atravessarem o Jordão e enfrentarem os inimigos para a conquista da terra prometida, a recomendação de Josué era clara e objetiva: “Santifiquem-se, pois amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós” (Js. 3.5).
Os tempos são outros, mas os desafios continuam e quem sabe são maiores para os enfrentamentos dos dias em que vivemos e a recomendação de Deus continuam a mesma: SANTIFIQUEM-SE. Ele quer fazer maravilhas em nosso meio. A santificação começa com o quebrantamento, cujas principais decisões ou atitudes as quais nos referimos acima, são as seguintes:
ARREPENDIMENTO – Há duas maneiras de viver a vida cristã. Uma é fazer de conta que estamos bem escondendo os erros e conflitos no nosso mundo interior. Tal atitude gera a espiritualidade farisaica, hipócrita e perigosa de pretender “vender” uma boa imagem de nós mesmos para os outros. A outra maneira é viver no Espírito, deixar Deus trabalhar, reconhecer nossa fragilidade e nosso pecado, voltando constantemente com humildade, ao trono da graça de Deus arrependidos do que somos e do que fazemos. Isso deve fazer parte de nossa vida diária. Sempre que quisermos mostrar para os outros aquilo que não somos, agimos com hipocrisia. Examinemos nosso coração, cheguemos ao arrependimento e a mudança de atitudes.
REAL INTERESSE PELA PALAVRA DE DEUS E PELA ORAÇÃO – A bíblia é a nossa fonte de orientação e sem a oração não há vida espiritual verdadeira. O verdadeiro quebrantamento nos leva ao aprofundamento do nosso relacionamento com Deus e isso só podemos adquirir buscando nas vias de comunicação com Ele: Bíblia e Oração. Falar com Deus, abrir o coração com fé através de nossas orações, aprender e praticar os ensinos da Sua Palavra são resultados de um verdadeiro quebrantamento, pois são atitudes de obediência que Deus se agrada.
Poderíamos relacionar muitas outras características de um quebrantamento genuíno, entretanto vamos nos limitar os acima citados, sem esquecer que todo crente quebrantado se torna um crente preocupado com o crescimento do Reino de Deus. Na bíblia sempre que o Salmista tinha uma grande experiência com Deus que o levava a conhecer mais profundamente a Deus, logo começava a convidar a todos a louvar e conhecer também o Deus a quem ele adorava. Quem está espiritualmente saudável deseja compartilhar sobre Deus e Sua Graça com os outros. Deus nos dê um coração cheio de amor pelos perdidos. AMÉM!