Barra de vídeo

Loading...

12 de abr de 2009

Páscoa sem fantasias




A Páscoa deveria ser, para a cristandade, a maior festa religiosa. Deveria ser mais comemorada que o Natal, o Ano Novo e, evidentemente, que Carnaval ou outra manifestação festiva de qualquer natureza. Nenhuma solenidade tem o mesmo significado que a Páscoa.
Infelizmente, as igrejas cristãs deram mais ênfase às festas religiosas de santos padroeiros que as de significado bíblico e permanente como a Páscoa. Além de diminuírem o seu valor, emprestaram-lhe símbolos e imagens que vieram do paganismo, como o coelho e os ovos de páscoa. Ainda mais, em virtude do mundo globalizado dirigido pelo capitalismo ganancioso, no qual o lucro financeiro é o objetivo primeiro de todos os empreendimentos, a ênfase da Páscoa está, assim como no Natal, nas vendas.
Hoje é praticamente impensável ter-se Páscoa sem ovos de chocolate e pão doce recheado de frutas cristalizadas ou chocolate, a já famosa "Colomba Pascal", (Pomba de Páscoa). Evidentemente, não há nenhum mal ou pecado em comer chocolate ou pão doce, a não ser a gula que nos leva a exagerar na dose. Quem não gosta de chocolate ou de pão recheado com uvas passas, mamão, cidra, figo, e outras iguarias cristalizadas? Qual criança que não se regala com ovinhos ou coelhinhos de chocolate?
O problema não está em uma comida típica, consagrada a um período do ano, mas sim na ênfase que se dá à comida, tirando o significado do que se pretende comemorar. Por exemplo, fazer da semana chamada santa, ou do período entre o carnaval e a Páscoa, chamado de Quaresma, um período no qual não se pode comer carne e tem-se que comer peixe, alegando que é pecado comer carne, é um absurdo posto que não tem respaldo bíblico.
Assim como não é pecado comer carne na sexta-feira da Paixão, não o é tampouco comer chocolate em formato de peixe, coelho, galinha, ovos, tablete ou qualquer outra forma.
O pecado está em se substituir a pessoa de Jesus, como se faz no Natal, pelo Papai Noel, pelo presente de Natal, pela árvore ou qualquer outro símbolo natalino. Da mesma forma, é contra a Bíblia, contra a Palavra de Deus, contra a vontade de Deus ter-se Páscoa com símbolos pagãos, idólatras e consumistas. Vamos mostrar para as crianças e adultos, para o mundo todo, que nossa Páscoa significa a Ressurreição de Nosso Salvador Jesus Cristo, que se sacrificou na Cruz do Calvário por nós.
Vamos declarar: "Por mim morreu Jesus, cravado numa cruz, no monte do Calvário, por mim morreu Jesus. Por mim ressuscitou, e veio para luz, e um dia voltará e ao céu me levará."
Os verdadeiros símbolos da Páscoa são: Jesus ressurreto, o túmulo vazio, a pedra do túmulo removida, os lençóis e panos no túmulo, as aparições de Jesus aos discípulos e sua ascensão aos céus.
Páscoa com coelhos e ovos fazem parte da fantasia e de uma tradição pagã e herege.
A verdadeira Páscoa é Cristo vivo, reinando no nosso coração, no seio de nossa família e de nossa igreja, Prepare-se para uma verdadeira Páscoa.
Feliz Páscoa com o Ressuscitado.

Pastor Paulo Roberto Sória


(Texto retirado do site: http://www.ufmbb.org.br/ )

Nenhum comentário:

Postar um comentário