Barra de vídeo

Loading...

12 de ago de 2013

O BEM SEMPRE VENCE NO FINAL?

          Sempre acontecem coisas boas a pessoas boas, e sempre acontecem coisas ruins a pessoas ruins? Ainda que nem todos os eventos da vida sejam “juntos”, pelo menos tudo dá certo no final, não é?
Depende do que você chama de “final”. E um homem bom chamado Abner ilustra esse fato inquietante.
Abner serviu por muitos anos como comandante do exército do rei Saul, seu primo (1Sm 14:50). Ele conquistou uma grande reputação como líder militar leal e competente, dirigindo o exército de Israel em muitas vitórias importantes. Saul confiava em Abner e esperava que ele cumprisse qualquer tarefa que lhe fosse atribuída, deste coletar informações secretas até desenvolver táticas eficientes de batalha (17:55).
No dia em que os filisteus mataram Saul, Abner, de alguma forma, conseguiu escapar com vida(31:1-6). Continuou a demonstrar lealdade ao falecido rei servindo a seu filho Is-Bosete (2Sm 2:8-10). Uma guerra esporádica aconteceu por anos entre Davi e o jovem rei até que, um dia, com relutância, Abner teve de matar o irmão de Joabe, o general de Davi. Daquele dia em diante, Joabe nutriu rancor por seu rival (2Sm 2:18-24).
Com o passar do tempo, “Abner foi se tornando poderoso na família de Saul” (2Sm 3:6), mas uma desavença pessoal com o novo rei o levou a oferecer a Davi a união do reino (3:12). Ele viajou para se encontrar com Davi durante uma ausência de Joabe, e os líderes fizeram um acordo. Contudo, quando Joabe voltou e descobriu que Abner visitaria o rei e recebera permrssão para sair em segurança, o comandante ainda amargurado saiu numa busca furiosa pelo odiado rival. Sob o protexto de estreitar os laços das duas partes em favor da unificação. Joabe assasinou Abner a sangue-frio (3:27,30).
Quando Davi ficou sabendo do assassinato, repudiou fortemente o homicídio e se distanciou tanto de Joabe como de seu címplice e irmão Abisai. O monarca axigiu que o reino unificado de Israel honrasse publicamente aquele herói assassino e declarou durante o funeral oficial: “Não percebem que caiu hoje em Israel um líder, um grande homem?” (3:38)
A morte injusta de Abner ilustra que vivemos num mundo destruído, onde o mal às vezes parece vencer e o erro parece ter a última palavra. Esse assassinato aconteceu apenas alguns anos depois da morte imerecida do dedicado Jônatas, o melhor amigo de Davi, que morreu em batalha ao lado do pai corrupto. Diante disso, pensamos: por que Deus permite a ocorrência de tais atrocidades?
Embora não saibamos a resposta com certeza, devemos nos lembrar de que a justiça divina sempre prevalece no final. Até mesmo no Antigo Testamento, Deus prometeu: “Multidões que dormem no pó da terra acordarão: uns para a vida eterna, outros para a vergonha, para o desprezo eterno” (Dn 12:2)
E isso significa que a história de Abner e Joabe não chegou ao fim.


Moral da História: Embora coisas ruins aconteçam a pessoas boas, a justiça de Deus prevalecerá no final. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário