Barra de vídeo

Loading...

5 de fev de 2010

Escolhas para um legado duradouro...

“Se alguém constrói sobre esse alicerce[Jesus Cristo] usando ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno ou palha, sua obra será mostrada, porque o Dia a trará à luz: pois será revelada pelo fogo, que provará a qualidade da obra de cada um. Se o que alguém construiu permanecer, esse receberá recompensa.” ( I Co. 3:12-14)

A cada dia precisamos escolher os materiais – temporais ou eternos – com os quais construiremos a vida. Se seu desejo é garantir um legado mais duradouro que você, serão necessários três materiais básicos nessa construção:
O primeiro são as convicções, ou seja, aquilo que defendemos. Convicções são valores fundamentais da Palavra de Deus que nunca mudam; são eternos. Tendências e estilos vêm e vão, “mas a Palavra do nosso Deus permanece para sempre” (Is. 40.8). Basta passar os olhos pelas notícias para perceber que até mesmo os estudos considerados científicos variam ou diferem grandemente em suas conclusões. Numa semana, o café é benéfico para a saúde; na seguinte, leva á hipertensão. Num mês, a dieta de proteínas é mais prejudicial do que benéfica; no seguinte, é a última moda. Psicologia popular, tendências de moda,listas dos mais vendidos,tudo isso vem e vai, mas a Palavra de Deus é sólida e segura, e não muda um único milímetro. Era verdade há milhares de anos, é verdade hoje e permanecerá no futuro.
Se nosso desejo é construir um legado eterno, então nossas convicções precisam basear-se na Palavra de Deus. (...) Uma convicção é um valor fundamental da Palavra de Deus que nos ancora, nos molda, permeia nossa vida e se transforma numa parte tão grande de nós que passa a ser exatamente aquilo que somos.
Outro material de construção eterno surge em nosso caráter. Ao morrermos, não levamos nada conosco, a não ser nosso caráter, quem somos no íntimo. Desde o início Deus teve um plano, ou seja, fazer você mais semelhante a Jesus Cristo, seu Filho. (...)
Deus usa vários métodos para cultivar o caráter de Cristo em nós. O primeiro são os problemas da vida(...) Se aceitarmos os problemas como oportunidades para confiar em Deus e nos tornarmos mais semelhantes a Cristo, quase não restará espaço para preocupação, autocomiseração ou irritação conosco.
Deus também usa as pressões da vida para aparar arestas (...) Nas situações em que somos espremidos, sempre se extrai o que está dentro de nós, bom ou ruim. Podemos reconhecer nossas limitações e convidar Deus a trabalhar em nossa vida ou insistir em fazer tudo de nosso jeito, mesmo que nossos esforços sejam inúteis.
Por fim, Deus usa as pessoas para enriquecer nosso caráter e eliminar arestas egoístas que nos impedem de amar da maneira que Cristo ama. Sempre há em nossa vida uma pessoa difícil de ser amada. O simples fato de amarmos não significa que o relacionamento será fácil. Lembre-se de que Deus usa as pessoas como um cinzel para eliminar tudo em sua vida que não se pareça com Jesus Cristo,de modo que possa transformar você numa obra de arte. (...)
Se construirmos nossa vida sobre convicções, caráter e comunhão, estabeleceremos um memorial eterno que beneficiará um número incontável de vidas por gerações e gerações.Teremos investido nossa vida na criação de uma ponte que,por fim, levará outras pessoas a Deus. Não há legado mais gratificante.

(Extraído do livro: Um mês para viver )

Nenhum comentário:

Postar um comentário