Barra de vídeo

Loading...

13 de ago de 2010

SERVINDO UNS AOS OUTROS

"Mas já está próximo o fim de todas as coisas; portanto, sede sóbrios e vigiai em oração; tendo, antes de tudo ardente amor uns para com os outros, porque o amor cobre uma multidão de pecados; sendo hospitaleiros uns para com os outros sem murmuração; servindo uns aos outros, conforme o dom que cada um recebeu como despenseiros da multiforme graça de Deus" (I Pe 4, 7-10).

Convido você meu querido leitor a ler todo o capítulo do texto em referência, em que o escritor sagrado faz menção do nosso antigo viver, o que hoje somos na condição de filho de Deus e a necessidade de vivermos na expectativa da volta do Senhor, seguindo a sua exortação - orando, amando e servindo. O texto resume no versículo 8 a mensagem que nos convida a refletir hoje quando celebramos a Ceia do Senhor e sempre quando pensamos no estilo de vida que vivemos ou que precisamos viver.

O termo tendo antes de tudo ardente amor uns para com os outros nos ensina que esta é a primeira e grande prioridade que é exigida por Deus em nosso relacionamento como igreja. Não somos simplesmente um prédio de concreto ou um ajuntamento que acontece todas as semanas, em que viemos, sentamos, prestamos culto, aprendemos e saímos. De acordo com os ensinos da Palavra de Deus, somos um organismo vivo, uma comunidade de fiéis, filhos de Deus que demonstramos interesse genuíno uns pelos outros. Faço questão de repetir o que escrevi nos boletins anteriores que temos interesses comuns e maior e mais importante é aquilo que nos une do que aquilo que nos separa. Então, vamos investir nisto com a preocupação de cada vez mais nos unirmos em torno Daquele que é a nossa razão maior de viver, nossa alegria, nossa esperança e o consumador da nossa fé - Jesus Cristo, o nosso supremo exemplo de amor.

É importante a leitura de todo contexto porque o apóstolo Pedro deixa claro para nós que para alcançarmos este ideal na vida comunitária, é de suma importância individualmente, a urgente necessidade de buscar santificação. Chega de viver como os incrédulos, diz ele no versículo de número 3. A prática do verdadeiro amor uns para com os outros está diretamente relacionada com o nosso amor a Deus. Servir uns aos outros em amor é o resultado do nosso relacionamento estreito com o Senhor, fora isso, podemos até fazer muitas coisas, muitas obras sociais que não passam de meras prestações de serviço no processo mecânico do viver.

Fico refletindo com tremor e temor quando leio sobre a condição que nos é exigida para realizarmos a obra de Deus nesta mutualidade - "Como bons despenseiros da multiforme graça de Deus", isto é, bons administradores, guardadores de valores incomparáveis, pessoas dignas da confiança depositada pelo Senhor.

Só podemos praticar isso em nosso viver de cada dia, se estivermos juntos. Os momentos em que nos reunimos tornam-se muito mais preciosos quando nossas vidas se entrelaçam umas com as outras, aproximando-nos cada vez mais, cada qual sentindo as tensões e lutas dos outros, interessando-nos profundamente uns pelos outros.

Agindo assim, continuaremos aprendendo e nos conscientizando de que JUNTOS SOMOS MELHORES! Que Deus nos ajude!

Nenhum comentário:

Postar um comentário