Barra de vídeo

Loading...

17 de fev de 2011

PORTAS FECHADAS

“Semeais muito, e recolheis pouco; comeis, porém não vos fartais; bebeis, porém não vos saciais; vesti-vos, porém ninguém se aquece, e o que recebe salário, recebe-o num saco furado”. (Ag. 1.6)
O que Deus estava dizendo é que, não tendo oportunidade para abençoar, porque as portas estavam fechadas, o resultado era o de que havia muito esforço com poucos resultados. Nos versículos 10 e 11, Deus falou a respeito das adversidades: “os céus retêm o seu orvalho e a terra retém os seus frutos. E fiz vir a seca sobre a terra, e sobre os montes, e sobre o trigo, e sobre o mosto, e sobre o azeite, e sobre o que a terra produz, como também sobre os homens, e sobre os animais, e sobre todo o trabalho das mãos”.
Tudo isto significava que a chuva não vinha no tempo certo; quando vinha, vinha no tempo errado; em lugar de chuva, vinha granizo e destruía as plantações; o pouco que sobrava era destruído pelas pragas de bichos que tudo devoravam. Assim a colheita era pouca. Os animais, não tinham o alimento suficiente e doenças o praguejavam. Tudo isto trazia problemas mil.que traziam muitas preocupações. As preocupações tiravam a fome; a água era pouca e não era cristalina. Com a falta de produção, não havia dinheiro para a compra de vestimentas e cobertas para as noites frias da Palestina. Como resultado de todos esses problemas, doenças várias atacariam o povo, roubando-lhes as forças necessárias ao trabalho. Sem a benção de Deus, mais uma vez se manifestava a verdade de que é “a benção de Deus que enriquece”, conforme vimos no capítulo anterior (Pv. 10.22).
No nosso caso, sem a benção de Deus, acontece a mesma verdade. A única diferença é que as atividades, na vida moderna, não são apenas agrícolas como era a realidade dos tempos bíblicos; Conquanto haja muitos outros tipos de atividades, os princípios gerais da vida e dos problemas são os mesmos. Nada mudou. Embora haja muito esforço, trabalhando-se quase dia e noite, os negócios vão mal, e os resultados são poucos; muitas vezes insuficientes para viver. Daí muita tensão, cansaço, estresse e preocupação. E o resultado se manifesta em falta de satisfação na vida e em problemas mil.
“Depois, nos mesmos textos, Deus continua: “e o que recebe salário, recebe salário num saco furado” e alcançastes pouco, e esse pouco quando o trouxestes para casa eu lhe assoprei”.
Gosto das figuras que Deus usou aqui. A mesma idéia que vimos no caso de Malaquias: o dinheiro desaparece e não se sabe como. Desta forma chegamos à conclusão, que Deus não consegue abençoar o infiel. Não consegue, por que a porta está fechada! Ou, usando outra figura; é necessário remover “o entulho” do edifício da fidelidade. Esse “entulho” é a infidelidade.
Será que Deus pode contar com você em que as portas da sua vida estarão abertas para que possam entrar abundantemente as suas bênçãos, porque por ela já saíram as suas bênçãos para o mundo?
(Extraído)

Nenhum comentário:

Postar um comentário