Barra de vídeo

Loading...

15 de mar de 2012

AINDA SOBRE A UNIDADE

O assunto é extremamente necessário para os confrontos que precisamos urgentemente fazer, avaliando o nosso desempenho pessoal em busca desse ideal. Em continuação, transcrevemos a seguir mais um trecho do livro “Filipenses – A alegria triunfante no meio das provas” onde o autor fala sobre a humildade: A humildade é a virtude que promove a unidade. A humildade é o remédio para os males que atacam a unidade da igreja. Entre o povo de Deus, a humildade é um imperativo, pois “Deus escarnece dos escarnecedores, mas dá graça aos humildes” (Pv. 3.34). Tiago diz que ‘‘Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes’’ (Tg. 4.6), e o Apóstolo Pedro ordena: “humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que Ele, em tempo oportuno, vos exalte” (I Pe. 5.6). A humildade deve ser a marca do cristão, pois, seu Senhor e Mestre foi “... manso e humilde de coração” (Mt. 11.29). Os discípulos de Cristo demoraram a entender essa lição e muitas vezes discutiram sobre quem deveria ocupar a primazia entre eles. Nessas ocasiões, Jesus lhes dizia que maior é o que serve e que Ele mesmo veio não para ser servido, mas para servir (Mc. 10.45). Vejamos três fatos importantes para o entendimento deste tema: Em primeiro lugar, o que é humildade? A humildade provém do conhecimento de Deus e de um correto conhecimento de si mesmo. Enquanto a ambição e o preconceito arruínam a unidade da igreja, a genuína humildade a edifica. Ser humilde envolve ter uma correta perspectiva sobre nós mesmos em relação a Deus (Rm.12.3), que por sua vez nos coloca numa correta perspectiva em relação ao próximo. O Apóstolo Paulo deu o seu próprio testemunho em suas cartas. Durante a sua terceira viagem missionária, se qualificou de “... o menor dos apóstolos” (I Co. 15.9), durante sua primeira prisão em Roma se intitulou de o menor dos menores de todos os santos (Ef. 3.8), e um pouco mais tarde, durante o período que se estendeu da primeira à segunda prisão em Roma, levou essas descrições humildes de sua pessoa ao apogeu, designando-se de o principal dos pecadores (I Tm. 1.15). Jamais o orgulho prevalece no coração de alguém que conhece a Deus e a si mesmo”. No próximo boletim daremos continuidade com o título COMO A HUMILDADE SE MANIFESTA. Não deixe de ler e fazer as avaliações sobre o seu próprio comportamento com relação ao que você tem feito para que nossa igreja experimente a unidade que precisamos para que unidos cumpramos a missão que o Senhor nos confiou.

Que Deus nos abençoe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário