Barra de vídeo

Loading...

6 de ago de 2012

UM ESCRIBA DA GRAÇA


O texto a seguir, extraído da Bíblia de Estudo Desafio de Todo Homem, tem tudo a ver com o assunto que estamos estudando em nossa EBD, pois trata do personagem que junto com Neemias, teve participação importantíssima na reconstrução:
“Quando um sacerdote e erudito chamado Esdras se convenceu, em algum momento do ano 458 a.C. de que deveria voltar para a terra devastada de seu povo, ele provavelmente não tinha ideia da difícil tarefa que se colocava a sua frente. Ele só sabia que Deus tocara seu coração para cuidar do bem-estar de sua terra natal e que precisava fazer algo em relação a isso.
Um dos antepassados de Esdras, dezesseis gerações antes dele, fora o primeiro sumo sacerdote de Israel, o próprio Arão (Ed. 7:1-5). Enquanto esteve no exílio, Esdras se dedicou a estudar a Lei de Moisés e desenvolveu um grande desejo de ensinar a palavra de Deus aos pequenos grupos de hebreus desanimados que haviam retornado a Judá.
Embora, possamos atribuir o sucesso de Esdras a características como perspicácia, determinação, boas conexões políticas e resolução, ele constantemente indicava que suas vitórias tinham outra fonte. A fonte que ele menciona talvez nos seja inesperada - em especial pelo fato de ele ter vivido nos tempos desafiadores do Antigo Testamento, não nos dias emocionantes do Novo Testamento. A que Esdras atribuía seu sucesso ministerial? À graça!
Praticamente todas as vezes que Esdras relata um triunfo ministerial ou pessoal, ele menciona a graça como razão subjacente. Considere alguns dos marcos principais de sua carreira:
Antes de Esdras iniciar sua missão, ainda na Pérsia, o poderoso rei Artaxerxes “lhe concedera tudo o que ele tinha pedido”. Por quê? Porque “a mão do senhor, o seu Deus, estava sobre ele” (7:6).
 Além dos presentes e de suprimento, o escriba recebeu enorme honra – não apenas na presença do rei, mas também diante do conselho real e dos príncipes mais importantes. Por quê? Porque “a mão do Senhor, o meu Deus, esteve sobre mim” (7:28).
 Pouco antes de iniciar sua jornada para Jerusalém, ficou desapontado com o fato de nenhum levita ter se juntado à expedição. Então, entrou em contato com alguns amigos pedindo-lhes ajuda e, em pouco tempo, uma grande quantidade de levitas apareceu. Por quê? Porque “a bondosa mão de Deus, estava sobre nós” (8:18).
 Esdras orou pedindo uma viagem segura e proteção contra os ladrões; em seguida, instituiu diversas medidas práticas de segurança. O resultado? “A mão do nosso Deus, esteve sobre nós, e ele nos protegeu do ataque de inimigos e assaltantes pelo caminho” (8:31).
 Até mesmo quando descobriu que muitos de seus compatriotas haviam se casado com mulheres pagãs e, assim, quebrado a lei de Deus, Esdras se refugiou na graça. Numa oração de confissão, ele disse: “Mas agora, por um breve momento, o nosso Deus, foi misericordioso, deixando-nos um remanescente” (9:8)

Você provavelmente já sabe que a graça é essencial para a salvação, mas Esdras nos mostra que ela também se aplica a outras áreas de nossa vida. E precisamos dela muito mais do que imaginamos”.

Moral da história: Aprenda a depender da graça em todos os aspectos da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário