Barra de vídeo

Loading...

23 de jun de 2013

FIEL APESAR DAS DIFICULDADES


Se você estivesse do lado de fora, poderia ter julgado a situação de José de maneira completamente diferente. Poderia ter observado a seqüência de dificuldades extremas e pensando: ‘‘Um jovem de boa aparência, vendido como escravo por seus irmãos, jogado numa prisão por conta de uma acusação ordinária e esquecido por anos por um homem que prometeu ajudá-lo? Para mim, isso se parece mais com um julgamento de Deus’’.

A história de José refuta a teoria de que apenas coisas boas acontecem a bons rapazes. Mas a vida dele também confirma que ‘‘Deus não é injusto; ele não se esquecerá do trabalho de vocês e do amor que demonstraram por ele, pois ajudaram os santos e continuam ajudá-los’’. (Hb 6:10). José era o favorito dentre os doze filhos de Jacó. Jacó até mesmo lhe deu uma vestimenta cara que o diferenciava dos irmãos (Gn 37:3). Quando adolescente, ele tolamente contou a sua família os dois sonhos que pareciam colocá-lo numa posição superior a todos - até mesmo a seus pais (Gn 37:1-11). Em pouco tempo, o ciúme de seus irmãos se transformou em ódio. Os irmãos de José o prenderam e o venderam a mercadores de escravos (37:28). Um egípicio rico chamado Potifar o colocou como responsável por seus bens (Gn 39:1-6). José recusou os avanços sexuais da esposa de Potifar e, por isso, ela o acusou de tentar violentá-la. Furioso, Potifar jogou José na prisão (39:7-20). Durante o tempo que passou ali, alcançou o favor do carcereiro e foi bem-sucedido em interpretar os sonhos de dois funcionários do faraó que estavam encarcerados, predizendo corretamente que um seria executado e o outro, liberto (40:1-22). Este prometeu que ajudaria José assim que fosse solto, uma promessa da qual ele rapidamente se esqueceu (40:23). Apenas dois anos depois, quando o próprio faraó teve um sonho perturbador, é que o homem se lembrou de José. Finalmente, José conseguiu ser liberto da prisão ao interpretar corretamente para o rei o significado do sonho que tivera (41:1-36). José disse ao faraó que aquele sonho antevia uma fome de sete anos que dizimaria o reino, a não ser que colheitas adicionais fossem estocadas com antecedência. O rei ficou tão impressionado com José que o encarregou do programa de armazenamento de colheita, fazendo dele o segundo homem no comando de todo o reino (41:39-57). Durante a fome, os irmãos distantes de José vieram ao Egito em busca de comida para suas famílias famintas. Eles não reconheceram José, mas este os reconheceu! Depois de uma série de encontros angustiantes, José finalmente revelou sua identidade. Com o segredo revelado, os irmãos logo temeram pela vida, pensando que José pudesse usar seu enorme poder para se vingar. Mas José sabia que, a despeito das dificuldades, Deus estivera com ele. Ele permanecera fiel ao Senhor, e pôde dizer aos irmãos trêmulos: ‘‘Não tenham medo. Estaria eu no lugar de Deus? Vocês planejaram o mal contra mim, mas Deus o tornou em bem, para que fosse preservada a vida de muitos’’. (Gn 50:19-20)

Moral da história: Deus pode não blindá-lo contra as dificuldades, mas vai usá-lo através delas, se você permitir.


Nenhum comentário:

Postar um comentário