Barra de vídeo

Loading...

6 de set de 2012

É SUFICIENTE DIZER: “EU ESTAVA ERRADO?”


“No vigésimo quarto dia do mês, os israelitas se reuniram, jejuaram, vestiram pano de saco e puseram terra sobre a cabeça. Os que eram de ascendência israelita tinham se separado de todos os estrangeiros. Levantaram-se nos seus lugares, confessaram os seus pecados e a maldade dos seus antepassados. Ficaram onde estavam e leram o Livro da Lei do Senhor, do seu Deus, durante três horas, e passaram outras três horas confessando os seus pecados e adorando o Senhor, o seu Deus”. (Neemias 9:1-3)


      Ainda vivendo a riqueza do estudo em nossa EBD do livro de Neemias, transcrevemos da Bíblia NVI, o texto a seguir, cujo teor está no contexto de nossa lição de hoje e que servirá como adição ao material que já temos em mãos. O texto fala de arrependimento, confissão e perdão, assuntos que temos muito que aprender na prática do dia-a-dia:
      “Você já foi pedir perdão e disse “eu estava errado”, achando que isso resolveria o problema? Talvez a pessoa ofendida tenha parecido confusa, levando você a pensar: “Bem, eu disse que estava errado. Isso não deveria ser suficiente?”.
      Porém, o simples fato de admitir nosso comportamento errado não é suficiente. Precisamos expressar nossa tristeza. A combinação desses dois elementos leva as pessoas a perceberem a sinceridade em nosso coração. Ao expressar nossa tristeza, podemos desenvolver empatia pelo outro. Isso constrói pontes e nos ajuda a restaurar os relacionamentos.
      Paulo sabia o valor da expressão da tristeza quando escreveu isto: “Agora, porém, me alegro, não porque vocês foram entristecidos, mas porque a tristeza os levou ao arrependimento. Pois vocês se entristeceram como Deus desejava, e de forma alguma foram prejudicados por nossa causa. A tristeza segundo Deus não produz remorso, mas sim um arrependimento que leva à salvação, e a tristeza segundo o mundo produz morte”. (2 Coríntios 7:9-10)
      Como Paulo disse, se nos entristecemos a ponto de chegar ao arrependimento, isso é uma expressão saudável das emoções que leva à cura em nossos relacionamentos com outras pessoas e com Deus. Também desperta empatia e um verdadeiro sentimento de restauração.
      Tentar se comunicar com empatia permite que a outra parte se sinta ouvida. Empatia significa “ver a questão com base na perspectiva da outra pessoa”. É semelhante à velha recomendação de “se pôr no lugar do outro”. A empatia diminui a resistência entre duas pessoas magoadas, permitindo que a comunicação se abra e a autoproteção seja aquietada”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário