Barra de vídeo

Loading...

3 de set de 2012

REAVIVAMENTO


    “Esdras abriu o livro diante de todo o povo e este podia vê-lo, pois ele estava num lugar mais alto. E, quando abriu o livro, o povo todo se levantou. Esdras louvou o Senhor, o Grande Deus e todo povo ergueu as mãos e respondeu: 'Amém! Amém!' Então eles adoraram o Senhor, prostrados, rosto em terra”. (Neemias 8:5-6)
Quero começar a minha reflexão de hoje com a afirmação de Charles Swindoll: “Em todo reavivamento genuíno na história sempre houve dois pontos altos. Primeiro, sempre houve a proclamação da Bíblia, a Palavra de Deus; segundo, sempre houve a mobilização espontânea dos cristãos, o povo de Deus”. O texto que estamos estudando neste domingo fala do primeiro reavivamento registrado na história. Os muros estavam construídos, a missão estava cumprida, mas havia um vácuo espiritual na cidade. Depois de longos anos de cativeiro, a convivência com um povo e uma cultura pagã, fez o povo esquecer seus princípios, a fé desvaneceu e o Livro da Lei escrito por Moisés foi abandonado.
Estavam agora reorganizados, bem instalados, protegidos com o muro reconstruído, mas faltava uma coisa, isto é, faltava o restabelecimento da verdade através da Escritura Sagrada. Isto me faz pensar que não basta sucesso nos negócios, na família, na igreja ou outro qualquer setor da vida, se não formos dirigidos, orientados, sustentados por Deus e Sua Palavra. Sem a Palavra como orientação, haverá sempre um vazio que não pode ser preenchido com outra qualquer coisa. Conta a história que o povo pediu para que a Escritura fosse lida e houve um grande ajuntamento na praça com uma expectativa incomum. O povo estava sedento da Palavra e Esdras atendeu ao pedido. Uma leitura que durou desde o “raiar da manhã até o meio dia”(v.3). A medida que ia sendo lida, a Escritura era interpretada e explicada ao povo através dos levitas que auxiliavam o sacerdote Esdras. O povo ouviu e entendeu e a verdade foi estabelecida. Quando chega a verdade, saímos da superficialidade e nos aprofundamos no amor e na vontade de Deus. Quando isto acontece bate em nosso coração o sentimento de arrependimento por reconhecermos o quanto temos desagradado ao Senhor e choramos. Isto é um bom sinal!
Na historia bíblica que estamos estudando, isto aconteceu. Uma grande lição para nós. Que a leitura da Palavra de Deus não seja limitada a uma mera prática religiosa ou obrigatoriedade de todos os dias, nem mesmo um passatempo para preencher as lacunas do tempo de nosso dia-a-dia, mas que seja um confronto sincero do que temos sido, avaliando nossas atitudes, nossas palavras, nossos relacionamentos e tenhamos a coragem de pedir perdão a Deus daquilo que não tem agradado Seu Espírito Santo, determinando em nome de Jesus estabelecer uma prática de vida que realmente honre o nome que está acima de todos os nomes, Jesus Cristo, aquele que deu a vida por nós para nos livrar da condenação eterna. Isto é reavivamento diário.
                                              Que Deus nos abençoe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário