Barra de vídeo

Loading...

28 de jan de 2010

QUANDO OS VENTOS SÃO CONTRÁRIOS...

“(...) encontramos ventos contrários (...) navegação difícil (...) lutamos sem resultado contra o vento e com grande dificuldade navegamos devagar...” Atos 27:1-44
O texto lhe parece familiar? Já teve a sensação de estar desprendendo toda a energia possível e perceber que por mais que se esforce sente que não vai sair do lugar? Há uma força contrária que parece impedir de avançar? Algo que te traz tanta dificuldade ao ponto de quase te fazer desacreditar?
Em situações como esta, podemos nos apropriar da experiência de Paulo , descrita no texto em referência e aprender com ele, como agir quando nos deparamos com os ventos contrários:
• Ter um olhar que vá além das circunstâncias.
Quando nos fixamos nas circunstâncias, dependendo da situação, podemos perder a esperança. A terrível tempestade que Paulo enfrentou com sua tripulação, tirou deles a possibilidade de ver o sol e as estrelas por muitos dias, “até que a esperança se acabou”(v.20). Mas, Paulo era um homem comprometido com a visão de Deus, e alguém assim não podia se deixar intimidar pelas circunstâncias. Ele teve uma atitude que nos diferencia nestes desafios:
• Se colocar de pé frente a dificuldade e ainda encorajar a outros.
O que nos diferencia em meio aos ventos contrários é a maneira com que reagimos a ele. Paulo se levantou e com atitude de fé e coragem compartilha a visão que teve da parte de Deus(v.21-25) Muitas vezes “naufragamos” porque nos deixamos ficar prostrados em meio as dificuldades, nos perdemos em queixumes e lamentações, ou mesmo em nossos “achismos” pensando ser por nós mesmos capazes de chegar ao destino esperado. Paulo teve forças para se colocar em pé e ainda encorajar a outros porque não perdeu de vista quem era o seu Senhor, quem estava no controle da situação, por mais difícil que esta lhe parecesse. Ele ouvia Deus falar e falava com Deus (v.23-24) e conservava viva a sua declaração de fé em Deus e em sua Palavra (v.25). Em meio aos ventos contrários precisamos mais do que tudo da Palavra que ilumine nosso caminho. E essa Palavra só pode ser a Palavra vinda do nosso Deus (Sl. 119:105). Agindo assim conseguimos algo vital:
• Ter união de propósitos, focar no objetivo comum.
“... fizeram uma sondagem, lançaram âncoras,venceram o medo,cortaram cordas,se fortaleceram...”(v.27-37) Perdemos forças e sucumbimos quando nos dispersamos, nos dividimos em opiniões e perdemos de vista o foco principal, o ideal que Deus tem para nós alcançarmos. É preciso romper com as divisões, somar forças com as habilidades que Deus nos deu para o alcance do propósito que Ele tem para cumprir em nós e por nosso intermédio, tendo como norte, sua perfeita vontade! Por fim, assim como fez Paulo e os que viajavam com Ele, precisamos:
• Aliviar a bagagem.
Quando os ventos estão contrários é exigido muito mais do barco para que ele não venha a naufragar. Há sentimentos e atitudes que pesam demais e impedem o barco de avançar: ciúme, inveja, insegurança,arrogância, altivez, mágoas, prepotência,medo, deslealdade,maledicência e tantas outras coisas que precisam ser retiradas, “lançadas ao mar”... Precisamos ter coragem e determinação para fazer a devida limpeza dentro do “nosso barco” a fim de chegarmos com segurança e menos desconforto ao nosso destino.
Os ventos contrários não podem abater aquele que está firmado em Cristo. Ainda que só reste um “pedacinho do barco”,(v.44) aquela situação em que nos sentimos literalmente quebrados, em caquinhos, ainda assim, há esperança. O vento que sopra da parte do Espírito Santo de Deus é capaz de nos guiar em segurança, até ser dia perfeito! Portanto, deixemo-nos conduzir por Ele...
Luciana de Oliveira
Educadora Religiosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário